RSS

Arquivo da categoria: os de casa

>Tem cara mais linda que essa?

>

Quanto mais eu olho mais lindo eu acho! Tudo o que se fala de ruim sobre esse bicho não se aplica ao Átila. Ele é brincalhão, amigável, simpático, insistente e “sem noção”. Aliás, acho que todos os que tive (Boby, Shara, Junior e Átila) foram e são sem noção de que são cachorros e não pessoas da família. Eles se acham “gente” e querem estar participando de tudo. O Átila então, nem se fala. Ele estabeleceu horários em sua vida, segue diariamente sua própria rotina. Espera até um determinado horário para a porta da cozinha ser aberta pra ele. Caso isso não aconteça o remédio é chorar na janela do quarto pra ver se alguém atende. Aí vem o cochilo da manhã, na porta entre a cozinha e a sala, até a hora do almoço. Enquanto estamos comendo, ele continua dormindo, mas ao menor sinal de movimento, ele sabe que está na hora do seu almoço. Senta na cozinha e fica esperando pacientemente até que sirvamos seu prato- e não pensem que ração só serve, essa é a hora do agradinho- tem que ter um molho, de preferência. Depois disso, é dormir a tarde toda. Barriga cheia! E vai assim até a tadinha, hora da janta. Senta do meu lado pra ganhar um pãozinho. Afinal, ninguém é de ferro né? Aí, vem a hora que ele mais gosta no dia, hora da brincadeira! Fica chamando a todos pra correr atrás dele em volta da mesa. Pode? Quem atende na maioria das vezes é meu marido. Só quer parar quando não aguenta mais de cansado. Se a gente está cansado não tem a menor importância pra ele. O fato é que ele quer brincar! Viram só que fúria de cachorro eu tenho em casa? Mas se chega algum estranho no portão, sei não!
 
6 Comentários

Publicado por em 29/09/2010 em átila, cachorros, cães, meus cães, os de casa

 

>Férias

>

E por falar em praia, como não podia deixar de ser, passei as férias na praia, com a família, claro! Como todo gaúcho do interior que se preze acha, bom mesmo é praia pra descansar! O mar exerce sobre mim um imenso fascínio. Talvez porque eu não tenha convivido com ele desde pequena e fui conhecê-lo já com certa idade. Admiro a imensidão, a força, a beleza e a plenitude que vejo ali. O som que vem de lá me encanta. Freqüento uma praia chamada Itapoá, que deve ser a última de Santa Catarina, já que imediatamente encontra-se Guaratuba que é paranaense. Minha relação com Itapóa é antiga, vou lá desde que meu filho era pequeno. Estou testemunhando o crescimento do lugar e já tivemos alguns avanços, apesar de tardarem muito a acontecer. Itapoá tem encantos, praias maravilhosas, mar verde limpinho e água morna. Falta uma certa infra-estrutura que podeira tornar o lugar mais atrativo ao turismo. Apesar dos defeitos é lá que temos nossa casa de férias, é lá que passamos boa parte de nossas vidas, é lá que curtimos os pássaros e nos revigoramos para enfrentar melhor a vida.

Reveillon na praia com a Linda e a turma dela. Da esquerda pra direita:
Valéria, Claudio filho, Neca, Patty, Cláudio pai, Linda, eu e o maridão.

Mais na frente a Maria Eduarda e o Caio.

Maria Eduarda: a mais nova surfistinha de Itapoá (sabe tudo de mar!!!)

Neca e Maria Eduarda (não falei que a água é limpinha???)

Eu e o marido (mais uma vez e cada vez mais!!!)

Eu (tomando um banho de sol!!!kkk!!!) e os homens da casa jogando um voleizinho esperto (Emanuel que se cuide!!!)

Nós 3- meu amor não cabe aqui de tão grande que é!!!

 
 

>Uma história colorida em preto e branco.

>

Somos seres humanos normais e como tal, somos passíveis de erro. Isso é fato! Mas acertamos também. Em várias ocasiões da vida da gente, acertamos em cheio. Posso me considerar uma pessoa de sorte e com mais acertos do que erros. Nasci numa família maravilhosa e quando fui formar a minha própria, acertei mais uma vez. Achei minha “cara metade” e 23 anos depois estamos os dois aqui, fazendo companhia um para o outro. Fazemos parte da mesma história e vivemos a mesma vida.
Quando começamos, tinha a sensação de que tudo permaneceria inalterado até o fim da vida; mas as coisas mudam, as crianças crescem, criam asas e tomam seu rumo. Como nós fizemos antes. E tudo torna-se um círculo. Um vai-e-vem de vida, de situações, de acontecimentos. E assim vamos vivendo, amando, conhecendo, aprendendo…
Começamos os dois e logo viramos três. Três vidas unidas pelo amor. E quanto amor! Nunca imaginei que fosse capaz de tamanho sentimento. Vai tomando conta da gente como se fosse uma onda gigante. Jamais pensei que um dia, seres egoístas que somos, seria capaz de entregar minha vida, meu corpo e minha alma a outra pessoa. Hoje somos quatro e continuamos unidos pelo mesmo vínculo.
Ser mãe nos torna pessoas diferentes e aí é que vamos nos doar de verdade. O resto todo é treino. Aquele ser que saiu de nosso ventre é algo divino e por ele somos capazes de tudo. Não existe sentimento igual. Posso entender agora o que minha mãe dizia com toda a sua sabedoria. Todas as coisas boas de que somos capazes afloram junto com aquela vida e para ela destinamos tudo o que somos. É uma entrega total, desmedida, sem medo. Uma entrega sem fim. Feliz de quem pode sentir um amor assim.
É uma dádiva ser mãe.

O começo…

o rebento…

…um amor eterno…

… por duas pessoas.

Um dia nos tornamos quatro…

… e eles precisavam ser dois…

…e se conhecerem.

E voltamos a ser quatro…

Tudo por causa de três amores que tenho: meu marido, meu filho e minha nora.

 
2 Comentários

Publicado por em 23/08/2009 em mãe, os de casa, ser mãe

 

>Meu Bebê!!!

>Falando em cachorro, não podia deixar meu “bebeinho” de fora. Agora com o frio que chegou por aqui ele ganhou um colchão. Parece que adorou o presente pois tem ido dormir sozinho, sem ninguém mandar. A casinha já era acarpetada, deve ter ficado mais fofa e macia agora. Ele vai lá, às vezes, experimentar a cama nova, dá uma deitadinha com carinha de feliz, levanta e vem pra cozinha de novo. De todos os que já tive, e talvez porque seja só ele de cachorro em casa, é o mais participativo de todos. Tem que entender tudo que acontece. Tem que estar perto, encostado, cheirando, procurando e vendo tudo o que a gente faz. “Convida” pra brincar. Brincamos de pega-pega ao redor da mesa da sala de jantar. Ele pega uma garrafa pet na boca, sai correndo e quer que a gente corra atrás dele pra pegar a garrafa. É claro que não conseguimos… Tudo que fazemos ele faz junto. Pode estar no maior sono mas quando alguém se movimenta, lá está ele… Pronto! Antes de todo mundo! Sempre Alerta! Esse é o meu Átila!

Amor incondicional…

Meu “menino maluquinho”…

É lindo ou não é???

 
Deixe um comentário

Publicado por em 14/06/2009 em cães, os de casa

 

>Pai e filho de novo

>Em edições personalizadas. Não ficou o máximo?

 
Deixe um comentário

Publicado por em 23/01/2009 em os de casa

 

>Pai e filho

>Quem é que não queria ser um vestidinho desses???? Ainda mais dela!!!!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 23/01/2009 em os de casa

 

>O Clã dos Baús

>Yves e eu

Nós 3

Eu e o maridão. O amor é lindo!!!

Nós 4 de casa mais a irmã da Katlyn: Brenda

Nós 4. Mais um ano juntos!!! É muito bom!!!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 15/01/2009 em os de casa

 
 
%d blogueiros gostam disto: