RSS

Arquivo da categoria: Stoccareddo

>O segredo dos Baús

>

O segredo de família Bau pode render novidades doces para diabéticos


Quem já foi lá, sabe do que estou falando. Bem no alto das montanhas, nas proximidades de Vicenza, encravada num mar verde espetacular, encontra-se Stoccareddo. Cidadezinha pequena onde dos 380 habitantes, 370 trazem o sobrenome Bau. Segundo consta, o sobrenome tem dominado o lugar desde 1400- existem registros de 8 famílias Baús que lá viviam.

“Os homens tendiam a ficar na aldeia, mantendo assim vivo o apelido, embora fosse hábito comum de ter uma e esposa de fora”, disse Viviano Bau, um professor.

As mulheres Baús tenderam a se casar com os locais.

O segredo: médicos pesquisadores de um instituto italiano descobriram algo mais que os Baus de Stoccareddo têm em comum – uma tolerância rara de açúcar no sangue a níveis tão altos que eles normalmente levam a sintomas de diabetes. Eles acreditam que isto pode ser devido a um gene único Bau.

Nos últimos anos os pesquisadores recolheram amostras de sangue e examinou o DNA de centenas de Baus que viajam para Stoccareddo de todo o mundo para seu encontro anual, que atrai cerca de 1.200 visitantes.

Os cientistas esperam que o estudo dos Baus possa revelar “insights” sobre diabetes. “Quase nenhuma das pessoas testadas têm diabetes, o que significa que talvez Baus tenham desenvolvido algum tipo de gene protetor”, disse Viviano Bau.

Vistas das montanhas de Stoccareddo:

Ruas de Stoccareddo:

Casario de Stoccareddo:

Monumento da Praça central de Stoccaredo:

Fonte:
http://www.smh.com.au/articles/2004/08/13/1092340467944.html?from=storylhs
Por Bruce Johnston na Itália
Agosto 14, 2004

Anúncios
 
2 Comentários

Publicado por em 15/10/2010 em diabetes, os baus, Stoccareddo

 

>A visão do paraíso-Neve em Stoccareddo

>

O tempo passa depressa. Isso é fato. Já se vão quase 3 anos desde que fomos a Stoccareddo. De lá, guardo lindas lembranças e a paisagem não me sai da memória. Na ocasião conversamos com duas mulheres que estavam enfrente às suas casas, tomando uma fresca, pois estava muito calor na época. Eram Baus as duas, nenhuma surpresa visto que 99,9% das pessoas que moram lá, também são. Conseguimos manter diálogo com elas numa mistura de italiano-espanhol-português que só os com muito boa vontade de se comunicar entenderiam. Trocamos e-mail e quando voltamos meu marido tratou de enviar correspondência para não deixar desaparecer o contato. As meninas chamam-se Sidônia e Lionela Bau mas quem nos respondeu foi Ana Maria Bardolini. Pelo que entendi, Ana Maria é casada com o irmão das meninas. Não os conhecemos na época, mas Ana, para nossa grata surpresa, troca e-mail com meu marido e mandou umas fotos da neve que já caiu em Stoccaredo esse ano.
Parece ou não parece uma cidade de contos de fadas? Vi o verão por lá. E era belo, exuberantemente verde, quente e acolhedor. Imaginem tudo aquilo branquinho de neve? É a visão do paraíso! Pelo menos pra mim, que adoro inverno! Depois de ver as fotos, cheguei a uma conclusão: vou ter que voltar lá quando estiver frio. Stoccaredo que me aguarde!!! Não sei quando mas, com certeza, vou querer ver isso. E vou me apaixonar de novo. É irresistível…
Quero agradecer a Ana Maria pelas fotos. Querida, sua gentileza foi imensa! Obrigada. Espero que goste da postagem e saiba que tens aqui grandes admiradores.

Vistas da cidade

Sidônia

Ana Maria e seu marido

 
Deixe um comentário

Publicado por em 28/01/2010 em neve, os baus, Stoccareddo

 

>Flores para Stoccareddo

>Encravada no topo das montanhas. Jóia perfeita!

Nunca é demais falar do belo. Não me canso de olhar essas fotos. Cada vez que olho descubro algo novo em algum cantinho. Uma paisagem bonita que antes tinha passado desapercebida. Uma cena cena engraçada, um momento que traz ótimas recordações. Como é bom viajar. Ainda mais sem horários pré-estabelecidos, sem guias turísticos, sem prazos, sem escolhas que não são nossas! Daí fica melhor ainda. Dessa maneira fica perdurando por muito mais tempo a sensação de que fizemos exatamente aquilo que escolhemos fazer. Erramos, às vezes, mas o erro será mérito próprio e não de outrem.

Stoccareddo é prova disso. O caminho que leva até lá de Viccenza é espetacular com um cartão postal. Parece pintado à mão por um artista em estado de graça. A cidade é de sonho. Aquele sonho que a maioria das pessoas têm de morar num lugar bucólico, calmo, longe do corre-corre das cidades grandes.

Aí estão mais algumas fotos de lá. Aquelas que ficaram guardadas, escondidinhas, só esperando a vez de serem apreciadas.
Em algum lugar no caminho…


surgem casas que desfrutam sozinhas essa imensidão verde.

A própria visão do paraíso:

Casario de Stoccareddo:

 
Deixe um comentário

Publicado por em 08/11/2009 em Stoccareddo, viagem

 

>Coisas boas para lembrar…

>Ontem, naquela hora em que estamos tentando pegar no sono, estava pensando em alguma coisa muito boa para postar aqui. Lembrei de uma passagem engraçada de nossa viagem de 2007. Viajamos até Vicenza, província italiana na região de Vêneto que faz fronteira a norte e oeste com a Província de Trento, de onde vieram os antepassados de meu marido, os Baús, para fazer um pit-stop e conhecer Stoccaredo.
Chegamos em Vicenza logo depois do almoço e nos instalamos no hotel, muito bom por sinal, acho que o melhor de toda a viagem. Tomamos um banho e fomos procurar uma lavanderia para colocar a roupa suja em dia. Começavam a faltar cuecas, calcinhas e meias limpas. Tinha uma bem perto do hotel dessas tipo “faça você mesmo”. Ainda bem que meus dois acompanhantes falam inglês senão eu teria que comprar calcinhas e sutiãs novos (particularmente eu teria gostado mais desse jeito) pois as máquinas de lavar e secar só “falavam” nessa língua. Mas meu santo é forte e encontramos lá uma negra simpatissíssima que era de Angola e falava portugûes. Yes! Colocamos a roupa pra lavar e secar e como ia demorar muito fomos tomar uma cervejinha, um suco e um refri no bar da frente.
Que bar! Um espetáculo! A árvore que nos fazia sobra era no mínimo centenária pelo tamanho do tronco. A copa fazia sombra no pátio todo, deixando todas as simpáticas mesinhas escondidas do sol, que estava muito quente.
Depois de curtirmos essa belíssima tarde e com a roupa limpa retornamos ao hotel para o jantar e para descansarmos para o dia seguinte que, como todos, seria muito bem aproveitado.
O roteiro era passear em Stoccareddo, cidade vizinha à Vicenza, encravada nos Alpes Italianos. Stoccaredo fica a 981m acima do mar, Vicenza a 39m. Íamos ter que subir bastante…
Sete horas do dia seguinte, café da manhã farto e depois de termos feito todas as contas e câmbios necessários chegamos a conclusão que ir de táxi a Stoccaredo seria mais fácil, mais barato e mais rápido. Rumamos para a estação rodoviária para contratar os serviços de um taxista local. Como todo o italiano que se preze, muita conversa, muita barganha, chora daqui, pechincha dali e chegamos a um acordo. Acho que o taxista não imaginou que ia negociar tanto com turistas. É que eu tenho dois aprendizes de italiano do lado de cá.
E rumamos morro acima…
Descortinou-se diante de nossos olhos uma paisagem maravilhosa. Aí pude entender o que esses italianos queriam lá no Rio Grande do Sul quando vieram da Europa. Claro que não temos Alpes, mas é tudo muito parecido. Os morros, os vales, o verde, os rios, as árvores, tudo…
Tudo muito belo e pitoresco. E Vicenza ficando lá embaixo… E a gente subindo…Estrada sinuosa, muito sinuosa…O carro em 1ª marcha…Subindo…Curva…Subindo…Mais curva…E o carro aquecendo…Curva…Subindo…E o carro esquentando mais…E o carro parando…E…Silêncio total…Nada…Só nós e a natureza…e o carro mortinho…
Ainda bem que tinha uma casa e que ali era a Itália. “Tutte bona persona”. Ofereceram ajuda, em pouco tempo tudo estava resolvido e voltamos à viagem.
Mais um pouquinho e estaríamos lá. Sem não antes passar em graciosas cidadezinhas e igrejinhas pelo caminho.
Stoccareddo. Lindíssima e aconchegante. Lugar muito bonito. Me fez lembrar o primeiro lugar que trabalhei- Silveira Martins, pertinho de Santa Maria, RS.
400 habitantes, quase todos Baús. Passeamos pelas ruas, entramos na igreja, conversamos com pessoas, até conhecemos alguns parentes. Muito queridas, uma delas chamava-se Sidonia e a outra Lionella. Nosso contato foi muito rápido mas gratificante. Meu marido troca e-mail até hoje com uma delas, que não estava lá na ocasião. Chama-se Ana Bardolino, que por incrível que paressa não é Baú.
Gente muito simpática. Dia inesquecível.

Viagem maravilhosa. Lugares e passeios que somente tu e tua família podem fazer juntos pois fazem parte da tua história. Fazem parte do teu passado ou do passado de alguém que tu amas. Faça teu próprio roteiro. Não te apegues aos horários e aos gostos dos outros. O bom mesmo é viajar antes, fazendo o próprio roteiro; viajar durante, fazendo e visitando o que tu gostas e na hora que quiseres; viajar depois, relembrando e curtindo seus filmes e fotos. Quem sabe até fazendo um blog, assim como eu, que cada vez que posto aqui, vivo tudo outra vez.

Barzinho em Vicenza- olhem o tronco da árvore…

Outro ângulo do bar:

E começamos a subir…

até que o carro cansou!!!

Aproveitamos para apreciar a paisagem,

que era um colírio para os olhos.

Continuamos subindo, passamos por igrejas

e por cidadezinhas maravilhosas.

Essa era a vista de dentro do carro:

Estávamos chegando perto…

Cada vez mais perto…

E chegamos.

Fotografamos o marco:

Visitamos a igreja.

Por fora.

Por dentro parecia envolta em magia…

…e fé.

Andamos pelas ruas,

apreciamos as casas,

nos encantamos com o lugar.

De quebra, conhecemos pessoas simpáticas e acolhedoras.

Belíssimo lugar!

 
2 Comentários

Publicado por em 30/07/2009 em Stoccareddo, viagem

 

>Stoccareddo-Itália/2007

>De onde vieram os Baus. O lugar é espetacular. A gente chega em Vicenza, pega uma estrada sinuosa na montanha e vai subindo, subindo….subindo…..subindo….até quando o carro aguenta…..( o nosso pifou no meio do caminho).E chega lá. A paisagem é maravilhosa. Sem falar que tem neve lá…..
Bonito demais!!!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 07/12/2008 em Stoccareddo, viagem

 
 
%d blogueiros gostam disto: